Social Icons

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Estudantes mentiram sobre assédio sexual sofrido em Sapezal


Texto da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

O fato ocorrido no dia 11, quando segundo informações divulgadas na imprensa local, dois alunos da Escola Municipal Antonio Clarismundo Scheffer Bloco II haviam sido vítimas de tentativa de assédio sexual em um bairro da cidade. 

Um fato chamou a atenção da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal, é que os menores alegaram morar na zona rural, e que o ônibus que faz o transporte dos alunos havia atrasado e devido o atraso, a professora não lhes permitiu o acesso à sala de aula, razão pela qual os menores foram procurar uma pessoa conhecida da família e que ali tinham a intenção de permanecer até o final da aula, ficamos então a imaginar se os alunos são transportados pela rede municipal de ensino, então não seriam apenas os dois que teriam atrasado, e sim aproximadamente 30 alunos, como, pois não fora permitido a entrada de apenas os dois na sala de aula?

Com esta dúvida, procuramos o Diretor da referida escola, pois achamos estranho o argumento usado pelos menores, Alessandro Lima diretor do Bloco II, nos informou que soube do fato, quando foi procurado pelos pais dos menores, que foram acompanhados destes, então convidou a coordenadora e a orientadora que frente a frente: pais, diretor, orientadora, coordenadora e alunos, foi feita uma acareação, ai os alunos admitiram que faltaram com verdade, pois não houve atraso do transporte escolar, e que ao desembarcar em frente a escola não adentraram a mesma e sim que saíram em direção ao bar localizado no bairro Popular, onde o fato supostamente teria ocorrido.

Tudo resolvido e esclarecido, foi lavrada uma ata,para comprovar a veracidade do fato, que após lida, foi devidamente assinada pelos pais, Diretor e demais participantes da reunião. O Diretor afirmou naquele momento aos pais, e posteriormente a imprensa da prefeitura, que a entrada de todos os alunos é pelo bloco I, e que, quando ocorre o atraso de algum aluno e não lhe é autorizada a entrada em sala de aula, este permanece no pátio interno, não sendo permitida de forma alguma a saída do recinto escolar durante o período de aula.


Vale ressaltar,  que o Diretor do Bloco II Alessandro Lima de Oliveira é conhecedor do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, uma vez que atuou até o ano passado como Conselheiro Tutelar e jamais permitiria que seus alunos fiquem na rua no período escolar, pois é sabedor de todos os problemas que podem ocorrer,  foi o que nos afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
 
Blogger Templates